sábado, março 08, 2008



Da série, pra sempre Ledu:

"Ilhas

Cá estamos, finalmente. Chegamos com a madrugada e mal pudemos esperar para
ouvir a areia fluida cantando sob nossos pés.
Buscamos tantas vezes distância das alegrias bizarras sem sucesso!
Na bagagem odores delicados, nossos vinhos prediletos, queijos,
pães, frutas, jornais, Paul Auster, Silvina Ocampo, e os meus judiados poemas de Prévert.
Com os solavancos da estrada os melõezinhos expuseram suas polpas sem pudor: o
mesmo laranja róseo do amanhecer que nos recebe sem ruído.
Levemente perturbados aspiramos o perfume insular, o mesmo que veio nos indicando o caminho.
Nas curvas usávamos a primeira pessoa do plural, como já juramos nunca. Soa singular.
Pelo estilo do vento, o dia será magnífico."

No Pseudopopblog de Ledusha S., em Exercícios de Levitação