domingo, dezembro 02, 2007



Imagine um silêncio profundo. Sinta que vc está num universo de silêncio.
Agora imagine que as mãos cálidas do universo envolvem seu corpo físico
de tal forma que vc se sente inundada pela permanente sensação de
segurança e paz e certezas. Você não precisa de ninguém, nem de nada,
você, só é. Agora imagine uma dança. Imagine que você dança com o universo
e o universo dança em você. Passam-se as eras e vc dança, vendo tudo
como se fosse na máquina do tempo; passam-se as eras glaciais, vivem as
florestas, depois desertos, florestas novamente e mais uma vez o gelo tomando
conta de tudo e vc lá, dançando com o universo. A consciência integral, o
conhecimento direto, o prazer de só existir e sentir que o tudo que faz vc
existir, respira em você. Agora bate com a cabeça no vidro da janela do ônibus,
no meio de Copacabana, pq ele freou rápido por causa do carro do Bope
perseguindo os assaltantes e vc tem catar seu guarda-chuva que saiu
rolando pelo chão e, ao mesmo tempo, abaixar por causa do tiroteio e dar o
sinal pra saltar no próximo ponto. Faz isso só, pra você ver.