sábado, outubro 25, 2008



Hoje meu filho faz aniversário e nesse exato momento 03:09 AM
está navegando em algum ponto do Mediterrâneo saindo da Turquia
em direção a Itália, passa no mar. Sei que vai ter festa - como ele
me disse dia desses, uma das vantagens da vida á bordo é que toda
a noite é Sábado á Noite, (ok, ele disse também quetoda Manhã é
Segunda-feira, mas não vamos tratar disso agora), - mas então,
vai ter uma super festa pra ele lá do outro lado do Atlântico, não vou
estar com ele mas não tem problema, ele é um homem conquistando
lindamente seu espaço no mundo. Literalmente. Orgulho. Mas de uns
dias pra cá, talvez pela distância, eu não tenho conseguido ver esse
homem, mas o menino. Aquele que me dava mão na rua e pulava
no meu colo quando queria dormir. Tenho sentido muitas saudades do
perfume dos cachinhos de cabelo, de ouvir aquele menino dobrando risada
e, a lembrança que tem batido mais forte, é a dele se escondendo atrás de
mim quando o bicho pegava - descobri que era uma pessoa muito forte,
muito forte, através da defesa da integridade fisica e emocional dele e
parece que agora, missão cumprida, surgiu espaço para lembrar sem dor
desse momentos. Sem dor é o prêmio. Enfim só queria registrar.
Esse ano, o aniversario do Fe tem um outro significado e sabor
que até certo ponto me surpreendeu. Pra mim o significado de sobrevivente
é quem vive as tragédias - as tragédias morais também, que podem até
matar mais rapidamente do que doença física - como as que vivemos
nesses anos, e não perde o olhar prazeroso sobre a vida, a potência
afetiva, não se apequena, que em vez de recuar, fica mais forte, o
olhar ingênuo dos sobreviventes, como li uma vez num verso, aquele
que nunca perde a ternura, esse é você. Feliz aniversário, Felipe :)