sábado, fevereiro 28, 2009




Os que só tragam com filtro. Os que conduzem a dança.
Os de papo requentado. Os que espalham o conflito. Os grosseiros de
foulard. Os que usam o saber como arma de poder. Os que citam sem parar.
Os ternos de abraço manso. Os previsíveis sem sal. Os que não têm
espelho em casa. Os que têm presas no olhar. Os prósperos despreparados.
Os que vão lamber o limbo. Os marinheiros sem mar. Os belos atormentados.
Os que gostam de mulheres. Os que gostam das mulheres. Os mitos
desamparados. Vampiros os mais variados. Os que só querem mamar. Os que
portam falos bélicos. Os que inventam nosso riso. Sensíveis sem onde morar.
Os que decifram. Os que devoram. que adoram nos ver chorar. Casados
infantilizados. Os que temem se amarrar. Os que consertam cadeiras.
Ciumentos sem chave do armário. Os indeléveis carnais. Os de coração falido.
Os gananciosos banais. Marxistas que espancam mulheres. Os que se
desmancham no ar.

Ledu.


Hoje, na minha caixa de correio.